Tadorna Tricolor
Tadorna tricolor – Tadorna tadorna Ave marinha de grande tamanho de grande atividade voadora. É a mais conhecida e popular das tadornas. Distribuição: Populações sedentárias Grã – Bretanha, França e Dinamarca, Noruega, Suécia e Finlândia. Alguns migradores descem ao Sul da Espanha, Portugal, África do Norte e Adriático. Existem ainda no Mar Negro, Rússia, Sibéria, Turquistão e Mongólia Habitat: Costas marinhas, lagos e mares, águas salobras. Costas arenosas e limosas Aproximam-se dos gansos pelo seu dimorfismo sexual pouco acentuado, patas robustas que permitem um deslocamento fácil em terra e pelo seu hábito de passar grande parte do dia em terra. O seu regime alimentar onívoro aproxima-os dos Patos. A atividade quotidiana é influenciada pelo fluxo das marés. Na maré cheia repousam perto ou sobre as dunas. Na maré vazante eles chafurdam à procura do seu alimento principal: crustáceos, moluscos e vermes marinhos. Também consomem algumas plantas aquáticas e alguns insetos. Esta espécie, migradora parcial, é pouco expandida mas um tanto comum. Prefere água salgada à doce. Preferem as costas com vegetação abundante, assim como os estuários dos rios. Levantam verticalmente em vôo. Quando migram voam em linhas direitas mas quando se deslocam para alimentar usam a formação em V ou diagonal. Não têm plumagem de eclipse. Durante a muda os adultos juntam-se em grupos de milhares no mar em bancos de areia. Normalmente são relativamente silenciosas durante o ano mas isso muda na época de reprodução ouvindo-se bem as fêmeas A tadorna e o Homem: Os habitantes das terras Nórdicas são os mais perigosos inimigos. Os seus ovos e penugem que os cobre são bastante desejados. O método tradicional consiste em coletar ovos recém postos e penugem. Alimentação essencialmente animal sobretudo à base de crustáceos, vermes, peixes, moluscos ou insetos. Ervas, sementes e frutas também fazem parte da alimentação. Algumas aves são especialistas em caracóis de água salgada. Uma tadorna tinha no estômago cerca de 3000 destes minúsculos caracóis. Embora prefiram a água salgada para freqüentar procuram água doce para beber. Formam casal para toda a vida. Cada casal tem o seu próprio território. O macho tem uma carúncula vermelha que aumenta e só se torna visível na época de reprodução. Usam buracos de coelhos, texugos, raposas ou marmotas como ninho (a fêmea amassa ervas a 1 ou 2 m na no barranco) mas também podem fazer o ninho em buracos em arvores largas. As vezes 4 ou mais fêmeas põem no mesmo ninho com um total de cerca de 50 ovos sendo isto freqüentemente um indicativo de falta de ninhos adequados. É comum o casal retornar ao mesmo ninho todos os anos. As crias ficam no ninho debaixo da fêmea durante o seu 1º dia. Depois o macho encoraja as crias a sair. Os 2 pais tomam conta dos filhos. As crias alimentam-se principalmente de minúsculos crustáceos. Mergulham bastante bem desde o nascimento em caso de necessidade. Os adultos são obrigados a abandonar os filhos para fazerem a muda e como os filhos não voam juntam-se em creches sobre a vigilância de alguns adultos. As creches podem chegar a ter 100 crias. As crias são postas em creches quando estão apenas a meio tamanho. Estas creches têm grande valor de sobrevivência. Os juvenis distinguem-se dos adultos pelo anel branco que têm à volta dos olhos. A formação do casal é por toda a vida Criação fácil reprodução difícil (especialmente quanto à criação dos recém nascidos). Planos de água um tanto grandes serão necessários. Como sempre a criação deve ter em conta os hábitos do animal no seu habitat natural para se ter as melhores condições possíveis. Reproduzem-se no seu 2º ou 3º ano. Algumas medidas: Comprimento: 60 cm Envergadura: 110 cm Peso: Macho pesa 1,2 a 1,5 kg a fêmea 1,0 a 1,3 kg. Época de Criação : Setembro a dezembro. Nidifica em tocas mas pode pôr os ovos numa cavidade rochosa. Põe 8 a 12 ovos na cor creme mas as vezes chega a 20 ovos. Macho permanece por perto. A incubação dura 28 a 30 dias. Crescem depressa e com 6-8 semanas já voam. As crias são criadas em creches durante 6 semanas Anilhar no 14º dia com anilha de 12mm Maturação sexual aos 22 meses.
____________________________________________________________________
Fazenda Visconde Ltda.
Av. Caramuru, 341 - República - CEP 14.025-080
Ribeirão Preto - SP - FONE: (16) 3625-4319


www.fazendavisconde.com.br
2018/7/21 | 08:14:41

IMPRIMIR